Design não é decoração

Muitos se enganam imaginando que o design é a última etapa de um projeto. Em um bolo, por exemplo, imaginam que o design é apenas o glacê e a cereja no topo. Pelo contrário, o design começa no início do projeto. Um decorador designer de bolos começa seu planejamento definindo o seu público alvo, o objetivo (tema) da festa e finalmente chega à sua mensagem principal, que é o que ele quer provocar nas pessoas que irão se encantar com o visual e depois com o paladar do seu bolo. Até aí, nada foi produzido ainda. Definida a mensagem principal, o designer pode então decidir a quantidade e os tipos dos ingredientes para então começar sua arte. O elemento visual nasce a partir deste planejamento. Se não for feito assim, corre o risco de fracassar.

bolo

Em uma apresentação não é diferente. O design começa no início de sua construção. Segundo Garr Reynolds, autor de Apresentação Zen “o design é necessário e um modo de organizar a informação de forma a deixar as coisas mais claras; é também um meio de persuasão”.

Para tanto, é necessário planejar o design para que não haja menos nem mais elementos visuais na sua apresentação. O excesso de informação visual gera confusão e desordem e impede que a sua mensagem seja transmitida. Não podemos deixar nossa vaidade nos atrapalhar na construção de uma apresentação. Por mais que você queira mostrar determinado gráfico, que fora fruto de pesquisa e esforço pessoal, temos sempre que avaliar se sua inclusão irá ajudar ou atrapalhar na transmissão da sua mensagem. “Design é a arte de subtrair, não adicionar”, diz Garr Reynolds. Portanto, façamos do design, um instrumento inteligente para levá-lo ao sucesso.

Boa apresentação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *